Blog

2 de julho de 2020

Como avaliar e melhorar o consumo da sua loja

A conta de energia da sua loja está alta? Para fazer tal avaliação, precisamos entender que o fator preço é relativo.

 

Em cada estado do Brasil a tarifa de energia é diferente, sendo que cada distribuidora de energia tem um preço acordado anualmente. Isso explica porque dois locais com o mesmo consumo paga, na conta final, um valor diferente, sendo um em São Paulo e o outro  em Manaus.

Assim, para compararmos de forma justa duas lojas situadas em locais distintos e com valores diferentes de tarifa, é necessário escolher lojas com o mesmo tipo de modalidade tarifária: Verde, subgrupo A4 e no mercado livre, por exemplo. Contudo, a despeito de tantas condições semelhantes, a conta final ainda não será a mesma. Então surge a indagação, como podemos avaliar o consumo de duas lojas?

O segredo está em observar não só o preço, mas o quilowatt-hora (kWh) – mais conhecido como o consumo.

Neste post, iremos apresentar um passo a passo para te ajudar a observar o kWh consumido para, ao final do processo, pagar menos no final do mês.

O primeiro passo é identificar o rateio por setores ou sistemas. Ao identificar a porcentagem de cada um dos setores no consumo total, conseguimos entender o perfil de consumo da loja para análise.

Por exemplo, veja um caso prático de uma loja do varejo-alimentar, que tem como maiores consumidores três setores: iluminação, ar-condicionado e a parte de frio alimentar (balcões expositores, câmaras frias etc.). Foi identificado o consumo de 86% referente aos maiores consumidores da loja. No grupo de não identificados – outros 14% – estão: computadores, uso de tomadas para os eletrodomésticos à venda e demais cargas.

Mas, como fazer essa análise? Por meio de um estudo energético com levantamento em campo dos equipamentos instalados e medições. O estudo pode ser feito por um time interno de engenharia ou por uma empresa de energia especializada em eficiência energética.

Isto posto, é importantíssima a listagem de todos os equipamentos que consomem energia elétrica para entendermos a rotina de funcionamento de todos eles, detalhadamente. Em lugares mais ao sul do país, por exemplo, em parte do outono e no inverno, não será necessário o uso do ar-condicionado. Por outro lado, mais ao norte do país, eles provavelmente funcionam nas 52 semanas do ano, durante todo o horário em que a loja permanece em funcionamento.

O segundo passo é entender o funcionamento da sua loja para identificar oportunidades de melhoria e redução de desperdícios. Você pode iniciar com perguntas como:

  • Quais os horários que minha iluminação fica ligada? Ela desliga de noite?
  • Qual o horário de funcionamento dos diferentes setores? Consigo fazer ajustes de uso dos equipamentos por setor?
  • Meu ar condicionado fica ligado somente quando a loja está aberta?

Em princípio, só de fazer todas as perguntas elencadas anteriormente é possível identificar oportunidades de redução, as quais podem ser evitadas logo que identificadas.

Com isso, chegamos no terceiro passo: implementação de ações com foco em eficiência energética para redução do consumo. As ações podem ir desde uma mudança simples de comportamento, passando por automações, até chegar em mudanças mais significativas como a inclusão ou troca de equipamentos programáveis e modernos.

As ações devem ser priorizadas conforme os maiores consumidores identificados no passo 1. Confira alguns exemplos comuns para o exemplo da loja de varejo alimentar:

  • Iluminação: validar se está de acordo com as normas da ABNT, o que na maioria das lojas visitadas por nós não estão de acordo e tem consumido mais que o necessário; revisão do projeto luminotécnico para propiciar uma valorização e melhor visualização dos produtos, além da verificação da quantidade e disposição de lâmpadas/luminárias;
  • Frio alimentar: verificar se os compressores do frio alimentar estão trabalhando de acordo com a necessidade ou em excesso;
  • Ar condicionado: analisar se a temperatura ideal para o ar-condicionado está realmente correta.

Por fim, como quarto passo, medir e acompanhar o consumo de forma contínua é importante para manter os resultados obtidos. Soluções para monitoramento do consumo em tempo real, principalmente setorizados, ajudam a consolidar as ações implementadas e manter uma cultura de melhoria contínua e acompanhamento de desvios de consumo.

À vista de todo o exposto, e na busca de responder a pergunta inicial – A conta de energia da sua loja está alta? –, é possível concluir que o ideal é analisar e entender detalhadamente o seu sistema e como se comportam todos os setores.

Com isto feito, é possível identificar possíveis soluções, incrementando tecnologias de medição e automação que auxiliam na redução de desperdícios e torne o sistema mais eficiente em todos os sentidos: mais seguro, moderno e, não menos importante, consumindo menos.

 

 

 

Eficiência Energética, Palavra do Expert

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *