Blog

12 de abril de 2018

Aneel propõe reajuste médio de 25,87% nas tarifas da Cemig

Para indústrias, percentual chega a 34,41%.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs um reajuste médio de 25,87% nas tarifas da Cemig. Se permanecer no percentual sugerido, será o maior aumento na conta de luz dos mineiros desde 2008.

Para consumidores conectados à alta-tensão, como por exemplo grandes indústrias, o aumento seria de 34,41%, e para a baixa tensão, a maior parte da população, a alta seria de 22,73%. A proposta de revisão tarifária ficará aberta em audiência pública até o dia 21 de abril e o reajuste definitivo entra em vigor em 28 de Maio.

A Cemig Distribuição atende a 8,2 milhões de unidades consumidoras em 774 municípios de Minas Gerais.

Por meio de nota, a Cemig informou que mais de 80% do reajuste preliminar se refere a itens que não estão sob a gestão da empresa e que a falta de chuvas nos últimos anos é um dos motivos para o aumento. “A maior parte desse valor se deve ao custo de compra da energia em função da situação hidrológica desfavorável do Brasil nos últimos anos”, explica a Cemig.

Diante desse cenário, pode-se dizer que a energia gerada por usinas hidrelétricas deve manter reajustes constantes e investir em fontes de energia renováveis é a saída mais inteligente.

A GreenYellow acredita em parcerias para resultados rápidos e efetivos. Especializada em gestão de energia, realiza o diagnóstico energético e desenvolve projetos de energia solar e eficiência energética com foco em Iluminação, Refrigeração, Climatização, sistemas de bombeamento, ar quente para fornos, vapor para caldeiras, ar comprimido e gás, além de realizar adequação para atender as normas técnicas e a legislação atual.

A GreenYellow investe 100% no parceiro, promovendo a viabilização técnica e financeira do projeto. Depois de implantado, o parceiro retorna o investimento de forma parcelada e conta com economia garantida desde o primeiro dia do contrato.

Conte com a gente e use a nossa energia para economizar a sua!

Fonte: Jornal Estado de Minas / Canal Energia

Sem categoria

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *